domingo, 1 de janeiro de 2012

CARTA DE FIM DE ANO/CICLO A UM AMIGO.




Caro amigo não nos iludamos, não vale a pena, no Mundo e em Portugal Não HÁ NENHUMA ALTERNATIVA DE PAZ, AMOR e LIBERDADE, para 2012 e anos seguintes.

Estamos cercados, dominados por alcateias de corruptos, ditadores, cínicos e gente interesseira que conquistaram todo o poder, e lutam, entre si, para imporem a sua imoralidade. A gente digna e proba não está ao comando de nada, é gente anónima, sem nenhuma influência decisiva em coisa alguma.

Como diz Eduardo Lourenço a História é sempre cruel, e, por vezes, cruel e trágica, foi assim na guerra colonial, foi assim com a perda da independência no século XVII, esperemos que durante as nossas vidas e a dos nossos filhos, netos, etc. isso não aconteça, mas a chegada dos chineses com o seu modelo de trabalho semiescravo a Portugal, como a foto ilustra, é um mau agoiro.

Todavia, estamos a fazer muito pouco, para evitar a tragédia, e a ilusão, já corrompida, pelos partidos tradicionais e gente negativa, dos movimento dos indignados, não será solução, se não for mesmo e somente um capricho. O papel dos jovens será determinante, mas a solução tem de ser participada por todos, sobretudo pelos que nunca são ouvidos.

Caro Amigo 

Não me guia significativa esperança, porque vejo o chiqueiro nacional e global consistente em que vivemos e vejo que gente, como nós, como velhos de 100 anos ou 200 anos, vai-se entretendo com os segredos que estão para além de Saturno, e, quando, alguém sai desta rota e diz: oh senhores o mundo está a desabar-se! Lá vem um bem pensante, armado em democrata, dizer que temos de condescender com estes discursos apocalípticos, e nada mais… 

Todavia escrevem-se artigos com os seguintes títulos: Medo, suicídio e eutanásia da cidadania, de Paulo Granjo, não num blogue ou jornaleco quaisquer, mas em “Le Monde diplomatique (nº de Dezembro de 2011).

Mas se ainda não virem, o que está acontecer, um dia verão, quando forem raptados por um gang de esfomeados, ou virem as suas pensões reduzidas à subsistência.

Com a gente digna emparedada isto fica à mercê de gente com tiques autoritários que, como já está acontecer, surgem como versões de D. Sebastião revisitado. Contudo na área do humanismo e da justiça social têm de se dar passos muito importantes para as lutas politicas que se seguem.

Caro Amigo 

Digo-te isto, porque te considero um homem digno, mas não te iludas, muito estão vencidos, ou convencidos que este destino é fatalmente o nosso. Pouca esperança me guia, mas impulsiona-me a moralidade, e esta e a vida é que devem ser as últimas a morrer. 

Percebo que alguns digam que estão cheios de esperança, porque em desespero de causa, julgam que as pessoas podem escolher qualquer inferno, mas não deveria ser isto o nosso Futuro, este devia ser a construção de uma sociedade LIVRE; DEMOCRÁTICA, - com uma lei eleitoral democrática, o que, não acontece actualmente, entre nós- , DIGNA E DESENVOLVIDA.

Caro Amigo 

Há gente digna, mas afasta-se de tudo, e outra que também o é, mas está fanatizada por: igrejas; cantores de meia tigela; escritores da merda, como um coelho brasileiro e as ritas ferros; actores de telenovelas miseráveis; políticos corruptos e quase todos com um cariz totalitário: ou para servir o 1% dos mais ricos, ou burocracias que pensam que a solução do futuro está algures no passado, e, assim, vamos parar ao Inferno, embora, a resistência nunca morra, os mártires a acontecer, deveriam ser para construir um Mundo diferente, e não o passado, neste caso, será sempre um tragédia injusta, dispensável e inglória.

Mas neste encontro Dantesco entre crueldade e a tragédia da história, quando alguém quer romper com este ciclo maldito, o máximo que se diz, é que isso é mais utópico que a utopia de More, e ponto. 

2012 um ano de pouca esperança, mas de uma luta tremenda para as mulheres e homens livres.
Abraços e beijos segundo os costumes.